Como diminuir o consumo de combustível? Confira 8 dicas

Como diminuir o consumo de combustível? Confira 8 dicas

Além de fazer bem para o bolso e para o veículo, economizar combustível é também contribuir para o meio ambiente. Quanto menos recursos forem utilizados para gerar energia, menor será o impacto sustentável.

Confira 8 importantes dicas para diminuir o consumo de combustível ao dirigir!

1 – Dirija de forma suave

A maneira de dirigir é um dos principais influentes no consumo de combustível pelos veículos. Procure acelerar e frear de forma gradual, sem fazer esticadas de marchas, que causam maior gasto de combustível.

Ao descer ladeiras, utilize o freio motor, pois, ao contrário do que muitos pensam, essa é uma medida que reduz o consumo. Não desça no modo banguela, ou seja, em ponto morto. Além de não economizar combustível e contribuir para o desgaste prematuro dos freios, essa prática é perigosa.

2 – Mantenha os pneus calibrados

A calibragem dos pneus é fator preponderante para consumo de combustível, portanto, verifique a pressão recomendada para o seu veículo. Isso pode variar de eixo para eixo e também conforme a quantidade de carga.

Pneus com calibragem baixa aumentam a superfície de contato com o solo, fazendo com que o veículo precise de mais energia para se manter rodando. Já quando estiverem muito cheios, podem perder aderência ao solo e reduzir vida útil de componentes do conjunto de suspensão.

consumo de combustível - calibragem

A verificação da calibragem deve ser feita pelo menos a cada 15 dias, sempre com os pneus frios. Procure a tabela da pressão correta do seu veículo no manual ou na internet.

3 – Confira velas e cabos

Velas e cabos são componentes extremamente importantes para fazer o motor funcionar. Quando estão em mau estado, impactam no consumo, pois podem demorar para dar resposta ou ainda queimar o combustível abaixo do rendimento, o que causa desperdício.

4 – Utilize corretamente o ar-condicionado

A utilização do ar-condicionado pode elevar em 20% ou mais o consumo do veículo. Isso acontece porque o compressor é acionado por meio da força do motor, ou seja, é a energia gerada pelo combustível que faz o ar-condicionado funcionar.

Procure utilizar o ar-condicionado quando necessário e mantenha em uma temperatura ideal e permanente. Ligar e desligar com frequência pode causar ainda mais consumo.

5 – Carregue apenas o necessário

Evite transportar cargas que não sejam necessárias, pois, obviamente, o peso do veículo interfere no gasto de combustível. Por exemplo: não deixe malas do final de semana ou de uma viagem no interior do carro durante a semana, remova bagageiros e suportes de bicicleta quando não estiver utilizando.

6 – Troque óleo e filtros no prazo

A troca do óleo e do filtro do cárter do motor deve ser feita sempre dentro do prazo ou da quilometragem indicada pelo fabricante do veículo. Uma engrenagem, caso do motor, com lubrificação inadequada, eleva o atrito das partes internas e causa maior consumo de combustível. Além disso, pode danificar seriamente os componentes.

consumo de combustível - tanque

8 – Abasteça com combustível de qualidade

Procure abastecer com gasolina, etanol ou diesel de qualidade. Muitas vezes, alguns produtos são utilizados para batizar o combustível, aumentando o volume na bomba. Os casos mais comuns são água no etanol e solvente na gasolina.

Obviamente, esse tipo de combustível tem menor rendimento, causando maior consumo. Mas, além de tudo, pode danificar componentes do sistema de injeção do veículo.

Anuncie aqui!

Seja parceiro do projeto Natureza Viva e colabore com as boas notícias do meio ambiente. Entre em contato conosco para saber como ter sua marca divulgada aqui!

    Fazenda vertical na Dinamarca vai produzir mil toneladas de verdura por ano

    Fazenda vertical na Dinamarca vai produzir mil toneladas de verdura por ano

    A zona industrial de Copenhagen, capital da Dinamarca, vai sediar uma fazenda vertical de sete mil metros quadrados. A estimativa é que o espaço produza mil toneladas de verduras por ano, quando estiver em capacidade máxima.

    Dentre os cultivos, estarão alface, couve e ervas aromáticas. Elas serão distribuídas em imensas prateleiras em 14 andares, empilhadas do chão ao teto. A fazenda será operada pela startup Nordic Harvest em parceria com a YesHealth Group.

    Os vegetais crescem em um líquido com nutrientes, não há solo, e são iluminados o dia todo por 20 mil LEDs, que substituem a luz do sol. A colheita será feita 15 vezes ao ano, e tudo é automatizado. A energia utilizada será suprida por usinas eólicas.

    De acordo com a Nordic, a fazenda vertical irá consumir um litro de água por quilograma de produto, cerca de 250 vezes menos que um campo ou fazenda tradicional. Ainda segundo a empresa, o cultivo não utiliza pesticidas e inseticidas.

    Opção para cultivos em áreas urbanas

    A Organização das Nações Unidas estima que 55% da população mundial viva atualmente em áreas urbanas, com previsão de aumentar para 70% até 2050. Essa situação levanta debates sobre a sustentabilidade urbana e sua capacidade de produção alimentar.

    Como o modelo atual urbano oferece pouco solo para plantar alimentos, o cultivo em fazendas verticais podem ser soluções viáveis de produção agricultura. Esses espaços garantem que a produção esteja mais próxima da população, evitando a necessidade de grandes deslocamentos e custos com transportes.

    Fazendas verticais pelo mundo e no Brasil

    O conceito de fazenda vertical surgiu em 1999, por meio do biólogo Dickson Despommier, da Universidade de Columbia, em Nova York. A partir de 2010 começou a ser colocada em prática.

    De acordo com o site da Sociedade Nacional de Agricultura, alguns exemplos de fazendas verticais são a Plenty e AeroFarms, nos Estados Unidos.

    Na Ásia, a indústria já está bem estabelecida. O Japão conta com mais de 200 fazendas verticais. A líder é a Spread, que produz 30 mil cabeças de alface por dia em sua planta de alta tecnologia a Techno Farm Keihanna. Outros países como Coreia do Sul e Singapura também têm realizado pesquisas avançadas nesse conceito.

    Economicamente, a expectativa é que, em 2020, as fazendas movimentem em 2021 aproximadamente 1,5 bilhão de dólares.

    No Brasil, no entanto, o interesse por fazendas verticais ainda é pequeno. Em São Paulo, a primeira lavoura vertical em escala comercial da América Latina surgiu em 2016, com cerca de 200 metros quadrados.

    Uma das desvantagens desse conceito de produção agrícola é a pouca variedade possível de cultivo de hortaliças, que basicamente são verduras.


    Anuncie aqui!

    Seja parceiro do projeto Natureza Viva e colabore com as boas notícias do meio ambiente. Entre em contato conosco para saber como ter sua marca divulgada aqui!

      Abelhas: 14 curiosidades sobre esses insetos incríveis

      Abelhas: 14 curiosidades sobre esses insetos incríveis

      As abelhas são animais extremamente importantes para a biodiversidade, por seu papel de polinizadoras de culturas agrícolas e plantas silvestres. Estima-se que mais de 75% das culturas alimentares do mundo dependem da polinização por insetos e outros animais.

      curiosidades sobre abelhas

      Confira abaixo algumas curiosidades sobre as abelhas

      1. Uma abelha produz cinco gramas de mel por ano. Para produzir um quilo de mel, as abelhas precisam visitar cinco milhões de flores.
      2. Se duas rainhas nascerem ao mesmo tempo na mesma colmeia, elas lutam até que uma morra.
      3. Uma colmeia abriga cerca de 50 mil abelhas, dentre elas, apenas uma rainha, alguns zangões e milhares de operárias.
      4. Uma abelha faz, em média, 40 voos diários. As campeiras visitam até dez flores por minuto em busca de pólen e néctar.
      5. Com a língua, a abelha recolhe o néctar das flores e guarda numa bolsa localizada no fundo da garganta. Ao voltar para a colmeia, o néctar vai passando de abelha para abelha, a água evapora e ele acaba se transformando em mel.
      6. A abelha rainha vive até dois anos, já as operárias vivem bem menos, cerca de 45 dias.
      7. As abelhas rainhas põem cerca de três mil ovos em um dia. São capazes de carregar até 300 vezes o seu próprio peso.
      8. Apenas as abelhas fêmeas trabalham. Os machos, os zangões, têm como missão fecundar a rainha. Depois disso, não são mais aceitos na colmeia.
      9. Uma abelha voa a uma velocidade de 25 km/h.
      10. Apenas as fêmeas possuem ferrões. Para provocar a morte de um humano não-alérgico, seriam necessárias cerca de 1,1 mil picadas.
      11. Um cérebro de abelha possui apenas 950 mil neurônios, cem mil vezes menos que o cérebro humano.
      12. Apesar do cérebro minúsculo, abelhas são capazes de realizar cálculos complexos em tempo recorde, principalmente quanto a distância e localização.
      13. Para calcular as rotas e solucionar trajetórias, as abelhas possuem um mecanismo sensorial que funciona como um GPS.
      14. Abelhas são os únicos insetos que produzem alimentos consumidos pelos humanos. 💚

      Desaparecimento das operárias

      A população de abelhas está passando por um fenômeno que causa desordem nas colônias, onde abelhas operárias estão desaparecendo repentinamente. Não há confirmação da causa desse problema, mas suspeitas versam sobre uso inadequado de pesticidas, progresso indiscriminado das cidades, práticas agrícolas agressivas e redução de áreas florestais adequadas.

      O que fazer para ajudar?

      As principais aliadas no combate ao desaparecimento de abelhas são políticas públicas que incentivem o uso adequado de pesticidas, promovam a variedade de culturas e atuem minimizando os impactos das possíveis causas do problema. No entanto, em casa, todos podem colaborar.

      A BBC listou algumas dicas, confira:

      • Plante flores diferentes em vasos ou no jardim para oferecer uma dieta rica e variada às abelhas. Caso floresçam em diferentes épocas do ano, melhor ainda
      • Não use produtos químicos ou inseticidas, pois podem ser nocivos para as abelhas. Isso é particularmente prejudicial quando as plantas estão floridas, uma vez que os químicos entram em contato com o néctar e o pólen, e as abelhas podem levá-los para as colmeias.
      • Deixe flores silvestres e ervas daninhas no jardim: são bons alimentos para as abelhas.
      • Construa um “hotel para abelhas”: você pode comprar ou criar uma estrutura de madeira com furos, que servirá como ninho para abelhas solitárias – que são a grande maioria.
      • Torne-se um apicultor: não há necessidade de morar no campo para criar abelhas. A apicultura urbana é praticada em muitas cidades. Busque uma associação local, aprenda o necessário e transforme a apicultura em um hobby.
      • Perca o medo: as abelhas não visam atacar você, porque se ela provavelmente morrerá ao te picar. Elas só fazem isso quando se sentem ameaçadas. Se uma abelha pousar em você, mantenha a calma e espere ela sair. Não fique perto da entrada de uma colmeia ou no caminho entre as flores e a colmeia. E aprenda a diferenciá-las das vespas, que podem, sim, picar sem motivo aparente.
      • Deixe um prato de água no jardim ou no quintal: você pode não saber, mas as abelhas também sentem sede.

      Fontes: Sem Abelha Sem Alimento e BBC.


      Anuncie aqui!

      Seja parceiro do projeto Natureza Viva e colabore com as boas notícias do meio ambiente. Entre em contato conosco para saber como ter sua marca divulgada aqui!