Neutralização de carbono é solução para combater mudanças climáticas

Essa é a marca que estamos deixando no mundo: toneladas de CO2 (dióxido de carbono ou gás carbônico) por ano geradas pelas atividades humanas. Desde os anos 70 do século XX, as demandas da sociedade excedem a biocapacidade do planeta, que é a quantidade de produção oriunda terra e do mar (cultivo, pastagem, floresta e pescas) disponível para atender as necessidades humanas. Precisamos de 1,5 planeta Terra por ano para manter nosso estilo de vida atual – isso significa que estamos tirando mais do que nos é ofertado, comprometendo as futuras gerações.


Uma das consequências dessa geração de emissões são as mudanças climáticas que nós sentimos na pele, como aumento das temperaturas, eventos naturais mais extremos, crescimento do nível do mar… Os cientistas afirmam que a temperatura não deve ultrapassar um aumento de 2°C até o fim do século – este é o teto considerado seguro para frear o aquecimento global. Mas para atingir esse valor, as emissões de CO2 equivalente (CO2e) devem ser reduzidas entre 40% a 70% até 2050 e chegarem perto de zero em 2100, segundo estimativas do IPCC.
Fonte: www.e-cycle.com.br
Foto: Divulgação


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.