Falta de água: o que fazer para economizar e não ficar sem?

Falta de água: o que fazer para economizar e não ficar sem?

A maior parte das cidades brasileiras é abastecida por água potável oriunda de barragens de captação ou poços artesianos. No entanto, em diversos períodos do ano, dependendo da região, elas são afetadas por tempos de estiagem, que causam falta de água.

falta de água

Não é preciso dizer que, sem água, o dia a dia se torna praticamente inviável. Afinal de contas, ela é elemento extremamente necessário para atividades cotidianas, sem falar na sua importância para a existência de vida animal e vegetal.

Dicas para evitar falta de água

Ok, mas e nesses períodos de seca e pouca chuva, o que é possível fazer para sentir menos efeitos de falta de água? Separamos quatro grandes ações que podem ser tomadas.

1 – Diminua o consumo

Essa é uma regra de ouro para temporadas de estiagem, pois a diminuição do consumo de água é essencial para que ela não falte. Nesse ponto, podemos listar as seguintes dicas:

  • Reduza o tempo do banho
  • Acumule roupas para lavar de uma vez só
  • Feche a torneira ao escovar os dentes
  • Deixe a louça de molho para gastar menos água na hora de lavar
  • Evite o uso de aparelhos que consomem muita água, como lavadoras de louça
  • Não lave veículos ou calçadas
  • Não utilize água potável para regar jardins e plantas

Outra questão importante é ficar atento a vazamentos ou fugas de água na rede hidráulica da residência ou do prédio. Muitas vezes, ali são perdidos milhares de litros por dia.

Setores industriais e agrícolas que utilizam água para seu negócio devem procurar meios alternativos de diminuição de consumo, tratamento de efluentes e reuso.

2 – Reaproveite água

Já pensou quantos litros de água que ainda poderia ser utilizada vão embora pelo ralo na hora do banho, de lavar louça ou de lavar roupa? Sim, são muitos litros.

Por isso, vale a pena investir em sistemas ou engenhocas que facilitem a reutilização da água. Por exemplo, em prédios mais modernos e considerados ‘verdes’ a água utilizada na pia ou no banho pode servir para a descarga. Claro que isso demanda uma instalação hidráulica, mas vale a pena, afinal de contas, o investimento será feito uma vez só.

Sem precisar mexer na rede hidráulica da residência, uma opção é coletar a água da máquina de lavar roupa em uma bombona e depois utilizá-la novamente para lavar outras peças como tapetes ou panos de chão. Essa água, também pode servir para lavar o piso ou a calçada. Ela só não deve ser utilizada para regar plantas, horta ou jardins, por causa da concentração de sabão ou detergente.

3 – Tenha um reservatório instalado

Todas as residências devem possuir um reservatório (caixa de água). Mas, por quê? São diversos os motivos.

O primeiro deles é que, se houver a necessidade de racionamento de água na rede pública, a casa não ficará sem, pois haverá uma reserva para uso. O segundo é que isso também vale para quando for feita alguma manutenção e for preciso interromper o fornecimento momentâneo de água.

Já outro motivo para ter uma caixa de água em casa é diminuir as chances de água suja. É que, se houver algum problema na rede pública e for necessário algum tipo de conserto, quando o abastecimento é retomado a tubulação poderá desprender sujeira. Esses resíduos, quando chegam à caixa da água, se depositam no fundo, não chegando até as torneiras, chuveiros e máquinas de lavar.

4 – Instale uma cisterna

Já ouviu falar de cisterna, não é mesmo? Elas são excelentes opções para evitar falta de água, visto que podem armazenar por longos períodos. Instale cisternas para captar água da chuva diretamente ou então das calhas e tubulações que descem do telhado.

Essa água da cisterna pode ser utilizada para lavar calçadas, piso e também para regar plantas e jardins. Dependendo da estrutura da rede, pode servir, inclusive para descarga do banheiro.

E então, o que achou das nossas dicas para economizar água? Compartilhe com seus amigos e amigas, para que todos contribuam com o nosso meio ambiente!

Animais da Amazônia: conheça 5 espécies incríveis

Animais da Amazônia: conheça 5 espécies incríveis

A floresta amazônica é fantástica pela sua diversidade de flora e fauna, a maior biodiversidade do mundo, distribuída em sete milhões de quilômetros quadrados. E quando o assunto são animais da Amazônia, a beleza dessa pluralidade de espécies é ainda mais forte.

animais da amazônia

Por isso, resolvemos contar aqui no blog um pouco dessa maravilha da fauna amazônica. Neste post, reunimos cinco espécies incríveis para conhecermos juntos!

Diversidade dos animais da Amazônia

A maior parte dos animais da Amazônia é constituída por peixes, já que se estima haver uma quantia em torno de 2 milhões vivendo nas águas. No entanto, ainda há cerca de um milhão de outros bichos vivendo na terra e no ar. No entanto, boa parte de todos eles, infelizmente, encontra-se ameaçada de extinção, o que demonstra ainda mais a importância de difundirmos conhecimento sobre o assunto.

Conheça abaixo cinco espécies incríveis de animais da Amazônia!

1 – Harpia

Já ouviu falar neste bichinho? A harpia é uma espécie de águia e é um dos animais da Amazônia mais lindos e imponentes. É uma ave que pode chegar a dois metros de comprimento com as asas abertas e pesar até 50 quilos. Ela possui grandes garras e também é chamada de gavião-real.

harpia animais da amazônia

2 – Onça-pintada

Espécie clássica da floresta amazônica e ameaçada de extinção, a onça-pintada é um dos maiores símbolos do bioma. Esse animal pode chegar a pesar quase 100 quilos, embora alguns já foram flagrados pesando mais de 150 quilos. A espécie varia de 1,12 a 1,85 metros, sem a cauda.

É um dos animais da Amazônia bastante reconhecido pelas suas manchas na pele e os pelos espalhados que forma pintas. Trata-se de um carnívoro ágil, capaz de devorar qualquer pequeno animal que estiver na sua cadeia alimentar.

onça-pintada animais da amazônia

3 – Coró-coró

Menos conhecido, o coró-coró mantém posta na nossa lista de cinco espécies de animais da Amazônia pela sua beleza. Além de ocupar a parte brasileira da região amazônica, vive em áreas do Paraguai e da Argentina. Pode chegar a até 60 centímetros de tamanho. Possui um longo bico e penas esverdeadas.

coró-coró animais da amazônia

4 – Macaco-aranha-de-cara-branca

Que nome, hein?! O macaco-aranha-de-cara-branca é nativo da floresta amazônica brasileira. Ele habita principalmente as regiões próximas aos rios Tapajós, Xingu e Teles. Esse mamífero, bastante ágil e esperto, é chamado de macaco-aranha-de-cara-branca por causa dos seus pelos bem escuros e do seu focinho branco, características marcantes do animal.

macaco-aranha-de-cara-branca

5 – Caititu

Parecido com um javali, o caititu mede até um metro de comprimento e chega a 45 centímetros de altura e 30 quilos de peso. De pelo áspero e negro com algumas nuances em cinza, ele emite um forte cheiro característico por meio de uma glândula localizada no focinho.

O tipo de estômago do caititu permite que ele tenha uma cadeia alimentar variada, desde frutas e verduras até pequenos animais. Se focinho é esticado e ele possui uma pequena cauda, assemelhando-se com um gambá.

caititu

E então, gostou da nossa lista de animais da Amazônia? Comente e compartilhe esse artigo! Numa próxima, traremos outras espécies incríveis desse espaço fantástico e maravilhoso do meio ambiente chamado floresta amazônica.

Confira listão de 33 práticas sustentáveis para o dia a dia

Confira listão de 33 práticas sustentáveis para o dia a dia

Muitas vezes, ser amigo do meio ambiente ou colocar em prática atitudes sustentáveis parece algo muito fora da nossa realidade, não é mesmo? Mas, quando observamos as possibilidades, percebemos que é possível contribuir para um mundo melhor.

práticas sustentáveis

Por isso, selecionamos 33 práticas sustentáveis que podem ser executadas tanto por consumidores como por empresários, no seu dia a dia. Confira!

Dicas de práticas sustentáveis

  • 1 – Dê preferência por adquirir produtos locais, para diminuir o impacto da cadeia produtora e ainda contribuir com a economia regional.
  • 2 – Avalie a necessidade real da compra do produto, com objetivo de gerar menos resíduos.
  • 3 – Engaje seus amigos e colegas de profissão em novas posturas de sustentabilidade.
  • 4 – Opte por comprar produtos de lojas e marcar que possuem preocupação socioambiental.
  • 5 – Prefira tecnologias limpas e de baixo consumo ao investir em algum negócio.
  • 6 – Combata vazamentos de água na sua casa, apartamento, condomínio e vias públicas.
  • 7 – Instale torneiras com fechamento automático ou de baixo consumo, com arejadores.
  • 8 – Faça aproveitamento da água da chuva, com captação e armazenamento por meio de cisternas.
  • 9 – Diminua a utilização de papel e viagens no seu trabalho, fazendo uso da internet.
  • 10 – Não deixe aparelhos ligados na tomada no modo stand by.
  • 11 – Opte por adquirir equipamentos com selo Procel de Economia de Energia.
  • 12 – Instale painéis fotovoltaicos na sua residência, prédio, escritório ou indústria.
  • 13 – Mantenha fiação elétrica em bom estado para evitar fuga de energia.
  • 14 – Substitua lâmpadas incandescentes e fluorescentes por lâmpadas de led.
  • 15 – Não descarte pilhas e baterias no lixo comum; procure um posto de coleta.
  • 16 – Troque descargas de água de válvulas por descargas de caixa acoplada.
  • 17 – Reduza o consumo de água na hora de lavar louça, tomar banho, escovar os dentes.
  • 18 – Faça a separação correta do seu lixo
  • 19 – Diminua a utilização de materiais descartáveis como copos, canudos, sacolas, entre outros.
  • 20 – Escolha embalagens reutilizáveis.
  • 21 – Use o ar condicionado de maneira mais eficiente, mantendo janelas e portas fechadas, limpando o filtro regularmente.
  • 22 – Opte pelo uso de refis ao invés da embalagem completa nos produtos como sabonetes líquidos, perfumadores de ambiente, materiais de limpeza, etc.
  • 23 – Utilize madeira de reflorestamento ou certificadas no caso de precisar de artefatos desse tipo.
  • 24 – Instale aquecedores que possuem sistema de energia solar para economizar energia elétrica ou gás.
  • 25 – Em residências, opte por chuveiros elétricos ao invés de chuveiros a gás, que demoram mais para aquecer.
  • 26 – Faça parceria com cooperativas de recicladores e doe produtos recicláveis da sua empresa ou negócio.
  • 27 – Opte pelo uso de produtos de limpeza biodegradáveis.
  • 28 – Reduza a utilização de substâncias tóxicas na linha produtiva da sua empresa ou indústria.
  • 29 – Troque sacolas plásticas por sacolas retornáveis, seja como consumidor ou proprietário de mercados ou lojas.
  • 30 – Instale sensores de presença e mantenha lâmpadas ligadas apenas quando necessário nos ambientes.
  • 31 – Invista em compras e fornecedores sustentáveis para seu negócio, causando menos impacto ambiental.
  • 32 – Reutilize a água do processo produtivo da sua empresa e trate os efluentes.
  • 33 – Evite o desperdício de comida de todas as formas.

E então, o que achou do nosso listão de dicas para práticas sustentáveis? O que mais você acrescentaria? Quais atitudes você toma no seu dia a dia para contribuir com o meio ambiente? Deixe seu comentário abaixo!