Falta de água: o que fazer para economizar e não ficar sem?

falta de água

A maior parte das cidades brasileiras é abastecida por água potável oriunda de barragens de captação ou poços artesianos. No entanto, em diversos períodos do ano, dependendo da região, elas são afetadas por tempos de estiagem, que causam falta de água.

falta de água

Não é preciso dizer que, sem água, o dia a dia se torna praticamente inviável. Afinal de contas, ela é elemento extremamente necessário para atividades cotidianas, sem falar na sua importância para a existência de vida animal e vegetal.

Dicas para evitar falta de água

Ok, mas e nesses períodos de seca e pouca chuva, o que é possível fazer para sentir menos efeitos de falta de água? Separamos quatro grandes ações que podem ser tomadas.

1 – Diminua o consumo

Essa é uma regra de ouro para temporadas de estiagem, pois a diminuição do consumo de água é essencial para que ela não falte. Nesse ponto, podemos listar as seguintes dicas:

  • Reduza o tempo do banho
  • Acumule roupas para lavar de uma vez só
  • Feche a torneira ao escovar os dentes
  • Deixe a louça de molho para gastar menos água na hora de lavar
  • Evite o uso de aparelhos que consomem muita água, como lavadoras de louça
  • Não lave veículos ou calçadas
  • Não utilize água potável para regar jardins e plantas

Outra questão importante é ficar atento a vazamentos ou fugas de água na rede hidráulica da residência ou do prédio. Muitas vezes, ali são perdidos milhares de litros por dia.

Setores industriais e agrícolas que utilizam água para seu negócio devem procurar meios alternativos de diminuição de consumo, tratamento de efluentes e reuso.

2 – Reaproveite água

Já pensou quantos litros de água que ainda poderia ser utilizada vão embora pelo ralo na hora do banho, de lavar louça ou de lavar roupa? Sim, são muitos litros.

Por isso, vale a pena investir em sistemas ou engenhocas que facilitem a reutilização da água. Por exemplo, em prédios mais modernos e considerados ‘verdes’ a água utilizada na pia ou no banho pode servir para a descarga. Claro que isso demanda uma instalação hidráulica, mas vale a pena, afinal de contas, o investimento será feito uma vez só.

Sem precisar mexer na rede hidráulica da residência, uma opção é coletar a água da máquina de lavar roupa em uma bombona e depois utilizá-la novamente para lavar outras peças como tapetes ou panos de chão. Essa água, também pode servir para lavar o piso ou a calçada. Ela só não deve ser utilizada para regar plantas, horta ou jardins, por causa da concentração de sabão ou detergente.

3 – Tenha um reservatório instalado

Todas as residências devem possuir um reservatório (caixa de água). Mas, por quê? São diversos os motivos.

O primeiro deles é que, se houver a necessidade de racionamento de água na rede pública, a casa não ficará sem, pois haverá uma reserva para uso. O segundo é que isso também vale para quando for feita alguma manutenção e for preciso interromper o fornecimento momentâneo de água.

Já outro motivo para ter uma caixa de água em casa é diminuir as chances de água suja. É que, se houver algum problema na rede pública e for necessário algum tipo de conserto, quando o abastecimento é retomado a tubulação poderá desprender sujeira. Esses resíduos, quando chegam à caixa da água, se depositam no fundo, não chegando até as torneiras, chuveiros e máquinas de lavar.

4 – Instale uma cisterna

Já ouviu falar de cisterna, não é mesmo? Elas são excelentes opções para evitar falta de água, visto que podem armazenar por longos períodos. Instale cisternas para captar água da chuva diretamente ou então das calhas e tubulações que descem do telhado.

Essa água da cisterna pode ser utilizada para lavar calçadas, piso e também para regar plantas e jardins. Dependendo da estrutura da rede, pode servir, inclusive para descarga do banheiro.

E então, o que achou das nossas dicas para economizar água? Compartilhe com seus amigos e amigas, para que todos contribuam com o nosso meio ambiente!

Falta de chuva: quais os impactos da estiagem na vida das pessoas

falta de chuva

Estamos no verão e, nessa época, é comum que ocorram períodos de falta de chuva, até mesmo longos. É claro que o clima firme e estável agrada boa parte da população, que espera dias quentes e de sol para aproveitar a temporada, principalmente no litoral. O caso é que longos períodos de estiagem causam problemas em vários setores da nossa sociedade.

falta de chuva

Agricultura

As lavouras são os exemplos mais clássicos de prejuízos por falta de chuva. A água é essencial para o cultivo de qualquer cultura, mas no período do verão as mais afetadas são milho, arroz e soja. Frutas como melancia ou melão também ficam em risco. A uva precisa de um equilíbrio entre tempo seco e chuva. São apenas alguns exemplos.

Quem mora em grandes centros urbanos, muitas vezes, não percebe a influência que o clima tem sobre a produtividade nas lavouras e suas consequências no preço dos alimentos. A qualidade dos alimentos também pode ser afetada quando a quantidade de chuva foi muito abaixo durante o seu cultivo.

Não podemos esquecer que a estiagem causa problemas no cultivo de hortaliças como alface, repolho, brócolis, pepino, beterraba. A falta de chuva também afeta as pastagens, tendo consequências na criação de gado, aves e outros animais. Vale lembrar que a qualidade da carne, do leite e dos ovos depende disso.

Captação de água

Problema mais visível e facilmente percebido pela população quando há falta de chuva é o abastecimento de água. Muitas cidades dependem do represamento de rios para captar a água que vai ser tratada e consumida pelos habitantes. Quando não chove por muitos dias, os níveis das barragens baixam significativamente, podendo causar racionamentos graves, afetando o dia a dia de muitas pessoas.

Algumas cidades possuem abastecimento por meio de poços artesianos, que, embora sofram menos com a falta de chuva, possuem muito menor capacidade de fornecimento. Ou seja, servem para abastecer bairros ou cidades menores.

Sistema elétrico

Cerca de 60% da energia utilizada no Brasil vem de usinas hidrelétricas, que transforma a força do volume de água em eletricidade. Isso significa que, para um gerador funcionar, é preciso grande represamento de água, capaz de movimentar a usina. Ou seja, com a falta de chuva, baixam também os níveis das represas utilizadas por usinas, podendo fazê-las diminuir sua capacidade de produção ou até mesmo parar.

A população pode sentir esse efeito diretamente na conta de luz. É porque, de acordo com a capacidade de geração de energia, são aplicadas tarifas diferentes. É o Sistema de Bandeira Tarifária, veja só:

●Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;

●Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,010 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;

●Bandeira vermelha – Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,030 para cada quilowatt-hora (kWh) consumido.

●Bandeira vermelha – Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,050 para cada quilowatt-hora (kWh) consumido.

Importância da chuva

Já abordamos a importância da chuva para o meio ambiente em um dos nossos posts aqui do blog. Que tal relembrar? Basta acessar neste link.

Verão: confira 18 dicas para economizar água durante a temporada

economizar água

Quem acompanha o blog do Natureza Viva já sabe da nossa preocupação constante no tema água. Neste post, reunimos 18 importantes dicas para economizar água durante o verão. Confira:

1- Reaproveite o gelo derretido da geladeira

Se a sua geladeira é do tipo que faz gelo, quando for limpá-la, aproveite a água do gelo derretido para regar as plantas ou o jardim. Lembre-se de deixar a água chegar à temperatura ambiente, para não prejudicar as plantinhas.

2- Reduza o tempo do banho

Essa é uma dica fatal para economia de água. No banho, consumimos uma média de 10 litros por minuto. Portanto, a cada 5 minutos que você reduzir seu banho, irá economizar 50 litros!

3- Coloque o chuveiro no modo verão

Como nesta temporada as temperaturas estão mais altas, ajuste seu chuveiro para o modo verão (ou posições mais baixas). Mantendo ele no modo mais quente, será preciso abrir mais o registro para diminuir a temperatura da água, consequentemente, gastando mais.

4- Use a opção meia descarga no banheiro

Muitos vasos sanitários possuem a opção meia descarga, que não despacha toda a água do reservatório de uma só vez. Utilize a descarga completa apenas quando for necessário.

5- Feche bem as torneiras

Fechar bem as torneiras parece algo muito óbvio, mas nem sempre é uma ação levada à risca. Sem perceber, acabamos não as fechando corretamente, causando pinga-pinga.

6- Evite lavar o carro

Lavar um veículo gasta muita água. Por isso, evite ao máximo lavar o carro durante o verão. Você também pode optar por empresas que fazem as lavagens a seco.

7- Utilize a água que sobra da máquina de lavar

A água que sai da máquina de lavar roupa pode ser aproveitada para lavar o piso ou para outras atividades de faxina. Você pode coletar em um balde grande.

8- Feche a torneira ao escovar os dentes

A atitude de fechar a torneira ao escovar os dentes é preciosa, pois muitos litros de água são economizados.

9- Lave frutas e verduras em uma bacia

Ao invés de lavar frutas debaixo da torneira, com água corrente, lave-as em uma bacia, deixando um pouco de molho.

10- Não lave calçadas ou pisos

Deixe a lavagem das calçadas ou dos pisos externos por conta da chuva mesmo.

11- Evite regar as plantas durante o dia

Procure regar as plantas ou o jardim durante á noite ou no início da manhã. Nesses períodos, a evaporação é menor, portanto, é preciso dispersar menos água.

12- Deixe acumular roupas para lavar

Utilize toda a capacidade da máquina de lavar, acumulando as roupas da semana. Evite executar uma lavagem para poucas peças.

13- Faça xixi no banho

Ao fazer xixi no banho, você economiza uma descarga. Pense nisso.

14- Fique atento a vazamentos

Atente para qualquer tipo de vazamento na rede de água da sua casa. Às vezes, elas não são visíveis. Uma maneira de descobrir se há vazamento é marcar os números do hidrômetro antes de dormir e não utilizar água durante a noite. Se os números mudaram na parte da manhã, deve haver vazamento.

15- Colete a água da chuva

Aproveite a água que vem da chuva. Ela não é boa para ser consumida, mas pode ser utilizada em lavagem na faxina ou para regar plantas. Uma indicação muito boa é construir uma cisterna.

16- Mantenha a água da piscina tratada

Ao manter a água da piscina bem tratada, você evita de ter que substitui-la. Para diminuir a evaporação, cubra a piscina enquanto não estiver utilizando.

17- Aproveite a água que sai do ar condicionado

Aquela aguinha que sai do aparelho de ar condicionado pode ser utilizada para algo, como regar umas plantinhas, que tal?

18- Opte por consumir frutas da época

Frutas que não são da temporada utilizam mais água para serem produzidas, além de outros fatores da cadeia produtiva. Por isso, prefira frutas ou verduras do verão!