Game: conheça o aplicativo que mapeia árvores nativas da Mata Atlântica

aplicativo mata atlântica

Capaz de localizar cinco espécies nativas da Mata Atlântica, o aplicativo Natu Contos busca, por meio de um game, conectar as pessoas e a natureza. O jogo começa quando o usuário escolhe o local da sua expedição. A partir disso, ele mostra um mapa, integrado ao GPS do celular, que leva o jogador até alguma das árvores.

aplicativo mata atlântica

Quando a planta é encontrada, o aplicativo abre um vídeo animado e disponibiliza um conto sobre a espécie, ideal para crianças. Ainda, é possível conhecer as características da árvore nativa. Uma vez coletadas as informações e as fichas técnicas, elas ficam armazenadas em uma biblioteca para serem acessadas quando quiser.

Quais espécies são mapeadas?

O aplicativo mapeia cinco espécies: embaúba, ipê-amarelo, pau-brasil, jequitibá e pau-de-ferro. Por enquanto, está disponível para São Paulo, Rio de Janeiro e Uberaba, e apenas para usuários da plataforma IOS (iPhone).

No entanto, o objetivo é ampliar. Já está em desenvolvimento uma versão para plataforma Android. O objetivo também é expandir para as cidades de Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

Para atingir esse patamar, o Natu Contos conta com a parceria da Fundação SOS Mata Atlântica e de financiamento coletivo, por meio do site Catarse. Quem participar do financiamento terá recompensas como plantio de mudas pela fundação, livro infantil, pôster com ilustração.

Os contos do aplicativo

Amélia e seu Ipê-amarelo

Amélia que tinha tudo amarelo, até seu cabelo, adorava um eucalipto, mas não ligava para um ipê-amarelo que tinha em seu sítio. Quando ele floresceu na primavera, isso mudou.

Árvore de Estimação

Uma menina fica triste por ter perdido o gramado e a sombra fresca de sua árvore de estimação queimada em um incêndio, onde ela tinha seu balanço.

À procura do Pau-Brasil

Um irmão e uma irmã tentam de todas as formas descobrir se a árvore que eles acharam era mesmo a espécie que deu nome ao nosso país.

O pica-pau e o Pau-ferro

Um pica-pau se aventura até a cidade e acha uma árvore diferente das do bosque em que morava, pois ela era muito dura.

Simãozinho e o pé de Embaúba

O macaco Simãozinho tem medo de altura, mas sonha em subir na árvore para comer seus lindos frutos.

Sobre a Mata Atlântica

Parque da Serra Geral, no RS, integrante do bioma Mata Atlântica. Foto: Marco Zeminhani

Entre os grandes biomas brasileiros, a Mata Atlântica abriga mais de 15 mil espécies de plantas e duas mil espécies de vertebrados registrados pela ciência. Trata-se de uma das florestas mais ricas em diversidade de vida no planeta. Ela abrange cerca de 15% do território nacional, em 17 estados diferentes (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí).

Vivem na Mata Atlântica mais de 70% da população brasileira, em mais de 3 mil municípios, incluindo três dos maiores centros urbanos da América do Sul. São aproximadamente 150 milhões de pessoas. Ela compõe o país com outros grandes biomas: Amazônia, Caatinga, Pantanal, Cerrado e Pampa.

Ônibus 100% elétricos começam a circular em São Paulo

ônibus elétrico sp

A prefeitura de São Paulo apresentou, no último dia 19 de novembro, 15 ônibus totalmente elétricos que passam a circular na capital paulista. Eles vão integrar a linha 6030/10 Unisa-Campus 1/Terminal Santo Amaro, com aproximadamente 30 quilômetros de extensão, e média de 14,8 mil passageiros por dia útil.

ônibus elétrico sp

O projeto piloto foi divulgado pelo munícipio em outubro de 2018. Os modelos dos veículos são das empresas Marcopolo e Caio, com fabricação da empresa chinesa BYD, e possuem bateria de ferro-lítio, área para cadeira de rodas, acessibilidade com rampa, piso baixo, wi-fi, USB e ar-condicionado. Eles também estão equipados com tecnologia NFC, que permite o pagamento de transporte por meio de cartões de débito e crédito, além de celulares ou smartwatches (relógios inteligentes).

A linha para implantação dos ônibus totalmente elétricos foi escolhida por atender a todos os critérios adotados pelos estudos técnicos da SPTrans, como percurso, quilometragem diária por veículo, número de passageiros transportados, menor custo para disponibilização de energia elétrica no local de abastecimento, distância entre a garagem e o ramal elétrico. Os 15 ônibus possuem 250 quilômetros de autonomia e isso garante que eles rodem o dia inteiro, podendo ser recarregados à noite. O abastecimento total é feito em três horas, com energia oriunda de uma fazenda solar. De acordo com a fabricante, cada ônibus elétrico em operação emite menos de 110 toneladas de CO2 por ano na atmosfera.

Frota de ônibus elétricos

A capital paulista lidera a maior frota de ônibus totalmente elétricos no país, mesmo com apenas 15 veículos. A cidade de Bauru, também no estado de São Paulo, já havia inaugurado os primeiros ônibus elétricos no ano passado, mas apenas dois foram lançados. Na mesma época, a cidade mineira de Uberlândia foi anunciada como a primeira cidade do Brasil a ter uma frota de ônibus elétricos, porém as negociações entre a BYD e a Viação São Miguel, responsável pela aquisição dos ônibus, não foram concluídas.

De todo modo, nenhum município brasileiro chegou perto do Chile que, no final de 2018, implantou 100 ônibus elétricos. Recentemente também a cidade de Guayaquil, no Equador, comprou 20 ônibus elétricos da mesma companhia chinesa. Mas o grande destaque vai para o Bogotá, na Colômbia, que anunciou a aquisição de 379 ônibus elétricos. Esta frota está prevista para operar a partir de setembro de 2020.

Chassis

O chassis é utilizado para aplicação em carrocerias com até 13,2 metros de comprimento. Os dois motores de 150 KW juntos equivalem a 402 cavalos de potência e estão integrados às rodas do eixo traseiro, contando com um módulo de controle eletrônico de tração. A estrutura é constituída por materiais de alta resistência a torção e a flexão.

Os freios a disco regenerativos com sistema ABS nas rodas dianteiras e traseiras, proporcionam maior segurança e autonomia ao veículo. A energia cinética dá ao veículo a capacidade de reverter a energia nos momentos de frenagem, permitindo a realimentação dos sistemas de baterias. A suspensão pneumática integral proporciona conforto aos passageiros e ao motorista e o sistema de rebaixamento bilateral (ECAS) permite o ajoelhamento da suspensão, aumentando a comodidade e a segurança para embarque e desembarque dos passageiros. Também é possível elevar a altura da carroceria para transpor alguns obstáculos das vias públicas, através do sistema pneumático de suspensão.

Com informações da Secom / SP. Fotos: Gildson di Souza / Secom

Conheça o micro gerador que usa correnteza dos rios para produzir energia

waterotor micro gerador

Embora a produção de energia hidrelétrica seja considerada renovável, normalmente o mais comum é a necessidade de construir barragens para aproveitar a força da água, o que pode causar impactos ambientais. No entanto, uma empresa canadense desenvolveu um micro gerador de energia elétrica, que pode ser utilizado nas corredeiras do rio, em baixas velocidades de fluxo.

waterotor micro gerador

Segundo a empresa, o pequeno gerador aproveita a correnteza do rio como força para a produção de energia elétrica. O aparelho é capaz de produzir energia com fluxo de água em velocidade mínima de 3,2 km/h. A capacidade de produção de energia em potência gerada nominal varia de acordo com o modelo (1kW, 10kW ou 1MW). A apresentação do produto também explica que ele tem vantagem econômica de 5 a 10 vezes maior do que geradores a diesel, além da maior facilidade de instalação.

O gerador é construído de resina rotomoldada e outros componentes de aço inoxidável, para que não sofra corrosão em águas salgadas. As lâminas rotativas não fazem barulho e se movem na direção do fluxo da água, sem danos a peixes ou outros animais. As asas hidrodinâmicas produzem alta resistência contra a água na parte da frente, que tem formato de conchas, e a parte de trás é moldada para produzir arrasto, puxando a lâmina. Esse design permite que o aparelho produza energia em fluxo lento.

Utilização do equipamento

Os modelos menores, de 1kW, podem ser transportados em porta-malas de caminhonetes e facilmente instalados em locais que não possuem nenhum tipo de energia. Os maiores necessitam algum tipo de transporte especial, mas mesmo assim não exigem obras para implantação, além de pequena sapata como base.

O aparelho produz energia 24 horas por dia, durante sete dias por semana. Esse seria um diferencial perante a produção de energia solar e energia eólica, que possuem picos de maior e menor produção.

Temos o que eu chamo de unidades de consumo, que podem ir tranquilamente na parte de trás de um SUV e podem ser usados em qualquer lugar – explica Fred Ferguson, CEO da empresa

Segundo o projeto, a turbina pode ser de grande valia para locais que não possuem acesso a energia elétrica, ou áreas que sofreram com algum tipo de desastre natural, como terremoto ou furacões. Estima-se que cerca de 800 milhões de pessoas não tenham acesso a eletricidade.

Veja como funciona


Anuncie aqui!

Seja parceiro do projeto Natureza Viva e colabore com as boas notícias do meio ambiente. Entre em contato conosco para saber como ter sua marca divulgada aqui!