Aqualuz: projeto brasileiro para filtrar água utilizando luz solar é premiado pela ONU

Desenvolvido pela baiana Anna Luisa Beserra, o projeto Aqualuz, que filtra água utilizando a luz solar, foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU), por meio do programa Jovens Campeões da Terra. A ideia surgiu quando Anna cursava o Ensino Médio e resolveu se inscrever para o Prêmio Jovem Cientista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que, naquele ano, tinha como tema a água.

aqualuz

Segundo Anna, o objetivo era pensar em algum projeto que pudesse resolver uma das maiores problemáticas do Semiárido. A ideia começou a tomar forma quando a então estudante entrou para o curso de Biotecnologia, na Universidade Federal da Bahia. Em parceria com demais estudantes da universidade baiana e da Universidade Federal do Ceará, o projeto se tornou realidade e hoje distribui água potável para 265 pessoas.

Como funciona o Aqualuz

O Aqualuz consiste em um filtro que purifica a água da chuva coletada por cisternas de áreas rurais utilizando a luz solar, sem a necessidade de componentes químicos. Essa filtragem ocorre em uma caixa de inox coberta por um vidro. Um indicador mostra quando a água está adequada para o consumo.

As etapas da filtragem:

1 – A água é bombeada da cisterna até a caixa de inox, passando por um filtro feito de sisal

2 – O filtro de sisal retém as partículas sólidas da água

3 – Na caixa de inox, ocorre a desinfecção, quando a água é exposta à radiação solar para eliminar micro-organismos e impurezas

4 – O dispositivo junto à caixa indica que a água pode ser retirada, por meio de uma torneira

Cada ciclo de filtragem dura em torno de quatro horas e cada equipamento pode filtrar até 28 litros de água por dia. Para manutenção, basta trocar o filtro natural (sisal).

Qualidade da água

Alguns testes preliminares realizados em laboratórios certificados e utilizando parâmetros do Ministério da Saúde revelaram que o equipamento é capaz de reduzir em 99,99% a presença de bactérias na água.

No entanto, o dispositivo não soluciona problemas de contaminações por elementos radioativos, metais, químicos ou de salinidade. Ele é indicado apenas para uso em cisternas, não para água captada em rios ou poços artesianos, que podem estar contaminadas e necessitam passar por outro processo de tratamento.

O Prêmio Jovens Campeões da Terra

Criado em 2017, é um prêmio inspirado no Campeões da Terra, principal premiação da ONU para pessoas cujas ações tiveram um impacto positivo e transformador no meio ambiente. É voltado para jovens de 18 a 30 anos.

Neste ano, cada jovem vencedor receberá 15 mil dólares em capital para investir em seu projeto e US$ 9 mil para investimento em comunicação e marketing, além de mentorias e convites para participação em eventos globais.

Fontes: EBC e G1 / Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *