Poluição visual: conheça alguns efeitos negativos e veja exemplos desse problema

Muito possivelmente, você já tenha ouvido falar em poluição visual ou tenha lido algo sobre esse assunto, não é mesmo? Mas, você sabe exatamente o que é poluição visual, quais são seus efeitos negativos? E conhece alguns exemplos de poluição visual na prática?

Neste post do Natureza Viva, vamos explicar esses e outros pontos sobre esse problema, uma poluição silenciosa, mas muito prejudicial ao meio ambiente, à saúde das pessoas. Acompanhe.

poluição visual

O que é poluição visual

Basicamente, a poluição visual é a grande quantidade de elementos destinados à comunicação que, aos se acumularem, causam desconforto para a população. Dentre eles, podemos citar cartazes publicitários, outdoors, busdoors, banners, faixas, fachadas de lojas e estabelecimentos, placas em geral, pichações.

Mas, também são consideradas formas de poluição visual a grande quantidade de fios de eletricidade, telefonia ou internet, prédios e edificações sem manutenção e em mau estado, lixo e resíduos urbanos expostos em via pública.

Relação com a poluição luminosa

A poluição visual possui uma relação íntima com outro tipo de poluição, a luminosa. Essa é o excesso de luz artificial emitida nos grandes centros urbanos, oriundas de anúncios publicitários, fachadas iluminadas, luzes de iluminação externa e pública, excesso de uso de leds e neons.

Efeitos da poluição visual

O principal efeito da poluição visual é o impacto negativo na qualidade de vida da população. Esse tipo de problema em nada contribui para a estética dos grandes centros urbanos, causando desconforto visual para as pessoas.

Mas não é só isso. A poluição visual pode interferir e ser perigosa para motoristas, capaz até de causar acidentes. Anúncios publicitários em demasia em locais indevidos, podem distrair motoristas enquanto dirigem, tirando sua atenção. Na cidade, podem obstruir a visualização de placas e sinalizações importantes de trânsito, impactando no tráfego.

A saúde da população também pode ser afetada pela poluição visual, causando problemas de estresse, conforme demonstrou estudo recente da Universidade A&M, do Texas, nos Estados Unidos. Pessoas em situação estressantes foram direcionadas a utilizar dois tipos de avenidas, uma para o interior, com poucos anúncios publicitários, e outra para os centros, com grande quantidade de anúncios e demais elementos.

Os níveis de estresse diminuíram mais rapidamente nos indivíduos que utilizaram a primeira rodovia, com menos elementos de poluição visual. Já quem utilizou a via com esse tipo de problema manteve os níveis altos de estresse.

Outro efeito negativo da poluição visual, nem sempre percebido, envolve os comerciantes locais das cidades. Isso porque a quantidade excessiva de painéis e outdoors dificulta a visualização dos negócios locais, podendo impactar na própria economia da microrregião.

Ainda, cabe ressaltar que a poluição visual envolve também as mensagens que são transmitidas nos espaços publicitários. Quando não há um controle ou uma regulação sobre isso, o que pode ocorrer é o incentivo a consumos inadequados e exagerados, causas relacionadas a problemas de saúde como obesidade, tabagismo, alcoolismo, entre outros.

Formas de combater a poluição visual

Para combater a poluição visual, além da consciência das pessoas, é importante que o poder público instaure legislações que possam regulamentar a divulgação e incentivar a diminuição do excesso de comunicação visual. No Brasil, há diversas cidades que já possuem projetos e programas específicos nesse âmbito.

Exemplos de poluição visual

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.