Compostagem doméstica: dicas de como fazer a sua

compostagem doméstica

Bastante utilizada em grande escala na agricultura, a técnica de reaproveitar material orgânico como fonte de nutrientes também pode ser reproduzida em casa. Neste post, vamos dar dicas de como fazer compostagem doméstica e, como resultado, contribuir para a sustentabilidade.

Benefícios da compostagem doméstica

O principal e mais direto benefício da compostagem doméstica é a diminuição do descarte de resíduos orgânicos. Como se sabe, muitos municípios sequer possuem sistema de coleta de lixo eficiente, o que ocasiona o acúmulo de resíduos em lixões, nas ruas ou em terrenos baldios. Essa situação pode gerar diversos problemas, inclusive de saúde para as comunidades.

Mesmo nas cidades que possuem sistema de coleta de resíduos, diminuir o descarte do lixo orgânico contribui para que ele não fique exposto nas lixeiras, causando mau cheiro e atraindo animais. A redução do descarte também é benéfica porque diminui a exigência do aumento de aterros.

O material produzido na compostagem pode ser utilizado como fertilizante natural em hortas caseiras.

Como montar uma composteira

Em lojas especializadas, você pode encontrar aquelas caixas específicas para compostagem, mas também podem ser utilizados baldes escuros com tampa. No caso do conjunto de caixas, são três, basta montá-las. Se optar por baldes, é importante que sejam aqueles que se encaixem um em cima do outro. Você vai precisar de três baldes, e deverá fazer furos que permitam a passagem do resíduo entre eles.

Exemplo de composteira à venda na internet

Na caixa superior, você deve fazer uma camada com folhas secas ou serragem, que servirá como dreno. Em seguida, coloque uma camada de terra misturada com uma boa quantidade de minhocas. Depois complete com resíduos orgânicos: restos de verduras e legumes, cascas de frutas, sobras de café, casca de ovo, etc. Não são indicados materiais como sobras de comida, restos de carne e leite.

Coloque novamente mais folhas secas, que vão ajudar na oxigenação do espaço, e tampe a caixa. Vá fazendo depósitos diários de material até que ela seja preenchida.

Quando a caixa superior estiver cheia, passe-a para baixo e suba a segunda caixa, recomeçando o processo, sem colocar novas minhocas. Em média, dentro de 60 ou 90 dias, já é possível fazer a retirada do húmus, rico para fazer a adubagem da horta.

Para retirar esse adubo, uma dica é colocar a caixa no sol para que as minhocas mergulhem na terra. Assim, você pode coletar com uma pazinha ou colher grande apenas a terra adubada, sem as minhocas.

A caixa inferior serve apenas para coletar o líquido que resulta do processo. Ele pode ser misturado com água e ser utilizado na rega de plantas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.