Efeitos nocivos da exposição demasiada ao sol

Extremamente importante para a vida no planeta Terra, o Sol também pode causar efeitos nocivos quando houver exposição demasiada aos raios solares. Neste texto, vamos entender um pouco melhor sobre o que causa esses efeitos, quais os principais problemas que podem ser resultado dessa exposição e como se prevenir.

Mas, primeiro, vamos retomar alguns detalhes sobre a importância do Sol para seres vivos e meio ambiente.

Qual a importância do Sol para os vegetais?

Realizar a fotossíntese seria impossível sem a presença da luz. Os vegetais possuem um pigmento específico, a clorofila, que capta a luz solar e a transforma em energia. Essa transformação é responsável por liberar oxigênio, indispensável por grande quantidade de seres vivos.

Qual a importância do Sol para os animais e seres humanos?

Muitos dos vegetais servem de base da cadeia alimentar dos animais, gerando energia e os mantendo vivos. Ou seja, outro impacto direto e indireto do Sol.

Além disso, o calor gerado pela incidência solar tem função de acelerar a quebra de moléculas e proteínas, regulando a temperatura corporal de animais como peixes, anfíbios e répteis.

O Sol também tem função de regular o ciclo biológico de animais e seres humanos, atuando na liberação de hormônios e contribuindo para o correto funcionamento do organismo. A luz solar é grande ativadora da vitamina D, que auxilia no fortalecimento do sistema ósseo, sistema imune e outras partes do organismo.

Benefícios da exposição solar adequada

A produção de vitamina D está entre os principais e mais comentados benefícios da exposição ao Sol. Isso acontece quando aliada a uma correta e adequada alimentação.

Tomar Sol de maneira adequada também ajuda a reduzir chances de doenças variadas. Uma delas é a depressão, já que os raios solares atuam na produção de endorfina, hormônio responsável pela sensação de prazer.

E mais: a exposição ao Sol auxilia a regular o ciclo do sono, combatendo a insônia e contribuindo para evitar problemas relacionados a noites mal dormidas, como estresse, cansaço e doenças decorrentes.

Efeitos nocivos do UVA e UVB

Os principais e mais conhecidos vilões do Sol são os raios ultravioletas UVA e UVB, que causam danos à saúde. Eles penetram na pele provocando alterações nas células, com efeito cumulativo. Isso aumenta e muito o risco de problemas na pele.

Raios UVA (Ultravioleta A) têm muito mais incidência pois, independente do clima, estão presentes na superfície terrestre durante todo o dia solar. São totalmente invisíveis e bastante prejudiciais à saúde humana.

Raios UVB (Ultravioleta B) são aqueles responsáveis pelas queimaduras devido a exposições demasiadas ao Sol. Mais fortes das 9h às 16h e durante as estações mais quentes. São bastante prejudiciais, inclusive a curto prazo, podendo gerar complicações severas como queimaduras graves, insolação entre outros.

Ainda, é preciso saber que o Sol emite outro raio ultravioleta, o Raio UVC. Porém, esses não chegam à superfície terrestre graças à camada de ozônio da atmosfera.

Problemas da exposição ao Sol

A pele é o maior órgão do corpo humano e o que mais sofre com a exposição ao sol em excesso. Veja quais são os principais problemas que podem ser causados:

Queimaduras na pele

Muita exposição ao sol faz a pele ficar mais seca, enrugada e descasca. Embora pareça ser mais espessa, ela fica enfraquecida e, como resultado, ela se machucará mais facilmente.

Envelhecimento precoce da pele

A radiação danifica o DNA das células, aumenta os radicais livres e quebra as fibras elásticas e colágenas. Por isso, a pele fica fotoenvelhecida, ou seja, mais espessa, às vezes amarelada, áspera e manchada, além de ter um maior número de rugas.

Manchas na pele

Podem ser escuras ou claras e são uma defesa natural da pele à exposição solar. As manchas escuras podem ser melanoses solares ou manchas senis e surgir em áreas que ficam muito expostas ao sol, tais como: face, mãos, braços, colo e ombros. Já as manchas brancas aparecem quando há ação acumulativa da radiação solar de forma prolongada e repetida ao longo da vida.

Câncer de pele

Pode começar como uma mancha ou pinta e a exposição solar excessiva é o principal fator de risco. As pessoas que tomam sol de forma prolongada e frequente tem maior risco de desenvolver a doença, principalmente aquelas de pele, cabelo e olhos claros. No Brasil, o câncer de pele não melanoma é o tipo de câncer mais comum.

Acne solar

Atinge principalmente o rosto, o pescoço, os ombros, o tórax e as costas. Ela se manifesta na forma de pequenas bolinhas avermelhadas e duras. É provocada pela mistura da oleosidade maior da pele com sudorese, uso do filtro solar e da própria radiação do sol.

Fonte: GNDI

Como prevenir?

  • Com alguns cuidados simples é possível evitar os riscos de tomar sol em excesso. Confira abaixo algumas dicas:
  • Use protetor solar todos os dias, com FPS de 30 ou mais
  • Evite a exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h
  • Cubra áreas do corpo com roupas mais longas, como calças e camisetas de manga
  • Utilize óculos escuros para proteger os olhos e chapéus para proteger cabeça e rosto Mantenha o corpo sempre hidratado, bebendo água

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.