Google inaugura novo campus com 90 mil painéis solares em formato de escamas

A empresa Google inaugurou neste mês de maio um novo campus na Califórnia, Estados Unidos, chamado de Bay View. O principal destaque desse novo espaço é que ele agrupa 90 mil painéis de energia solar fotovoltaica em formato de escamas de dragão.

Fotos: Iwan Baan / Google / Divulgação

Esse novo formato dos painéis permite que a empresa capte a luz solar por um período mais longo do dia, aproveitando os raios solares de vários ângulos. O modelo permite maximizar a produção de energia solar, que deverá ser de quase 7 megawatts, suficiente para abastecer até 40% dos novos escritórios.

O líder distrital e de energia renovável do Google, Assim Tahir, explica que foi preciso pensar além dos painéis retangulares tradicionais para criar algo que equilibrasse forma e função, maximizando o espaço disponível pelos edifícios. Segundo ele, o telhado solar nesse formato é resultado de anos de desenvolvimento e pesquisa de produtos, colaboração com diversos parceiros e análise de protótipos.

Além da energia produzida pelos painéis solares, o campus Bay View será alimentado por usinas eólicas próximas da localização. O Google tem a meta de operar com energia totalmente livre de carbono até 2030.

Desenvolvida inteiramente pelo próprio Google, a estrutura é um modelo a ser seguido por grandes companhias. Segundo Tahir, espera-se que compartilhar a abordagem de misturar design, estética e fabricação inspire mais projetos como esse.

Novo campus tem outros elementos sustentáveis

O projeto do novo campus do Google não é destaque apenas pelo sistema de energia solar nesse formato maximizado, com painéis de escamas. O espaço buscou implementar arquitetura e design para garantir iluminação natural, qualidade do ar e conforto térmico e acústico.

A área do campus é dividida em espaços para reunião e colaboração entre equipes, com espaços mais protegidos de som e movimentos, um pouco na contramão daquilo é sempre foi marca da própria empresa: espaços totalmente abertos.

De acordo com o Google, a nova área incorpora princípios de design biofílico, como vegetação, luz natural e vistas externas de todas as mesas de trabalho. O objetivo é garantir saúde e bem-estar de quem está na parte interna.

As janelas modulam a luz direta nas mesas dos funcionários, com persianas automatizadas que abrem e fecham ao longo do dia. Já o sistema de ventilação utiliza 100% do ar externo, contrapondo os sistemas típicos e tradicionais que utilizam apenas de 20% a 30% de ar externo.

Outro ponto observado foi a utilização de materiais de construção e produtos diversos com análise para remoção de toxinas. Carpetes, tintas, tubulações, compensados e móveis foram alguns dos itens examinados minuciosamente para seguirem essa instrução.

A construção possui a maior instalação geotérmica da América, com a função de aquecer e resfriar os espaços do campus. O sistema utiliza bombas para absorver o calor do solo durante o inverno e repassá-lo aos ambientes. No verão, esse fluxo se inverte. O objetivo da geotermia é também reduzir em até 90% a quantidade de água utilizada para o resfriamento dos ambientes.

Veja mais fotos

Anuncie aqui!

Seja parceiro do projeto Natureza Viva e colabore com as boas notícias do meio ambiente. Entre em contato conosco para saber como ter sua marca divulgada aqui!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.