Oito passos para cultivar orquídeas corretamente

As orquídeas estão entre as plantinhas mais cobiçadas, por causa da sua beleza exuberante. Embora a maior parte das orquídeas brasileiras seja, em sua origem, nascidas para crescer junto ao tronco de outras plantas, elas também podem ser cultivadas em vasos. Afinal de contas, nem todo mundo possui espaço para grandes árvores em seu jardim.

Neste post, reunimos oito passos para cultivar orquídeas. Confira:

1 – Oferecer luminosidade e ventilação adequadas

Cultivar orquídeas é ficar atento aos locais onde elas estão instaladas. Mantenha as plantinhas onde elas possam tomar sol no horário da manhã, até 9h, ou no final da tarde, depois das 16h. O sol muito forte poderá queimá-las. O contrário, a falta de luminosidade, afetará sua floração e elas poderão ficar muito vulneráveis.

As orquídeas gostam de locais com boa ventilação, bem arejados. No entanto, evite colocá-las em correntes de vento, que podem derrubar vasos ou quebrar os galhinhos. Outra recomendação importante é manter os vasos na mesma posição e local o máximo possível.

2 – Irrigar periodicamente

A irrigação das orquídeas deve ser feita pelo menos duas vezes por semana quando o clima estiver quente, sempre por cima, molhando folhas e flores. A terra deve ser mantida úmida, porém, nunca encharcada, o que poderá causar o apodrecimento das raízes.

Não é preciso manter pratinhos embaixo dos vasos, justamente porque as orquídeas não devem receber muita água. É mais fácil ela morrer pelo excesso de água do que de sede.

3 – Escolher o vaso ideal

Não opte por recipientes plásticos. Vasos de barro com furos nas laterais são ideais para cultivar orquídeas. Outra ótima opção são aqueles feitos de xaxim, por serem naturais e orgânicos. Eles oferecem absorção adequada de água e permitem enraizamento ideal.

4 – Adubar corretamente

Fazer a adubação correta das orquídeas, assim como qualquer planta, é um dos passos certeiros para que elas permaneçam fortes e vigorosas. O ideal é colocar pequenas doses de adubo a cada duas semanas, em quantidades adequadas para o tamanho da planta.

Para essa tarefa, podem ser utilizados adubos orgânicos como farinha de osso ou torta de mamona, por exemplo. Outra opção é utilizar o material orgânico de compostagens. Em lojas especializadas, é possível comprar adubos específicos, conforme a necessidade da plantinha.

6 – Prevenir contra pragas e doenças

Sendo bem cultivadas, as orquídeas dificilmente são atacadas por pragas ou doenças. Isso está muito ligado à irrigação correta, já que, quanto mais umidade, mais chances de os fungos se reproduzirem e atacarem a planta.

Uma das pragas mais comuns em plantas de jardim é a cochonilha, um inseto de três a cinco milímetros de comprimento, que se alimenta da seiva. Para combatê-la, é possível se utilizar de defensivos caseiros naturais, como água e sabão diluído. Outra maneira de combater as pragas é manter algumas plantinhas repelentes naturais em seu jardim.

7 – Esterilizar a tesoura de poda

Quando for fazer algum tipo de poda ou mexer nas suas orquídeas com a tesoura, procure esterilizá-la. Isso evita que haja a transmissão de doenças entre as plantinhas. Para esterilizar a tesoura, esquente-a no fogão a gás e depois deixe esfriar completamente.

8 – Instalar plaquinhas de identificação

Para manter seu cultivo de orquídeas bem organizado, instale plaquinhas de identificação nos vasos. Além do nome da espécie, anote os ciclos de floração. Você pode pesquisar quais os ciclos de floração de cada uma delas e fortalecer a adubação próxima a esses períodos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.