Reutilizando roupas velhas: elas podem virar até tijolo

Quem nunca arrumou o roupeiro e ficou em dúvida sobre o que fazer com roupas velhas? Pois é, qual o destino desses materiais está entre os questionamentos mais comuns.

Algumas pessoas acabam descartando as roupas velhas, mesmo as que ainda possuem possibilidade de uso. Essa não é a melhor solução ambiental, e nem social, para com esses tecidos, visto que muitos desses materiais possuem em sua composição resíduos químicos que podem prejudicar o meio ambiente.

Esses contaminantes, quando jogados no aterro sanitário, podem infiltrar o solo e chegar aos lençóis freáticos. Por isso, as indústrias têxteis já são obrigadas a reciclar suas sobras de material. Porém, ainda há poucas iniciativas para reciclar os tecidos depois do uso.

Como se vê, reutilizar roupas velhas é uma necessidade. Confira algumas dicas.

Roupas velhas com condição de uso

Antes de mais nada, é importante olhar para as roupas que ainda possuem condições de uso. Essas jamais devem ser simplesmente descartadas, pois é como se houvesse um desperdício duplo.

Além de irem para o meio ambiente e darem chances para a contaminação, elas acabam fazendo falta para quem precisa. Por isso, é imprescindível encontrar alguma alternativa, como por exemplo:

  • Vender ou doar para algum brechó
  • Anunciar para venda em sites de e-commerce
  • Doar para algum amigo ou amiga
  • Doar para campanhas de arrecadação de roupas

Brechós em expansão online

Os brechós, há um tempo considerados antiquados, voltaram com tudo nos últimos anos. Eles deixaram de lado o preconceito e cresceram principalmente pela maior conscientização das gerações a respeito do impacto ambiental negativo do descarte de tecidos.

A tecnologia se mostrou grande aliada, afinal de contas, hoje não é preciso sair de casa para comprar e vender itens de segunda ou terceira mão. Diversos sites de e-commerce possibilitam isso, alguns bem voltados para comércio de roupas velhas.

Segundo pesquisa do Ibope, quase 70 milhões de brasileiros têm itens sem uso em casa e 84% deles desejariam vender esses objetos. No último ano, quase 40% dos consumidores mais jovens adquiriram produto usando a internet.

Roupas velhas sem condição de uso

Tecidos que não possuem mais condições de uso exigem um pouco mais de trabalho e criatividade, mas nada que não valha a pena, em nome da preservação do meio ambiente e do consumo sustentável. Confira abaixo algumas ideias:

  • Confeccionar colchas, tapetes ou mantas para sofá com patchwork feito de sobras
  • Revestir a cúpula de um abajur
  • Utilizar restos de roupas como enchimento para almofadas ou pufes
  • Revestir porta-retratos, porta-trecos, cadernos, livros e agendas
  • Criar apoio de panelas revestindo pedaços de papelão
  • Confeccionar capas protetoras de celular com meias ou mangas de camisetas
  • Costurar ecobags ou sacos para guardar utensílios de cozinha
  • Confeccionar toalhas e panos para limpeza com patchwork feito de sobras

Ainda cabe ressaltar que a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) diz que os consumidores são os grandes responsáveis por descartar, de forma consciente e sustentável, roupas, sapatos ou qualquer que seja a peça adquirida.

Antes de jogar no lixo roupas que não possuem mais condições de uso, pesquisa opções para reciclagem das mesmas. Existem empresas especializadas nisso e algumas grandes redes de venda de departamentos possuem programas de recebimento de restos de tecido. Ainda, é possível procurar o fabricante da peça e verificar a disponibilidade de devolver o material pós-consumo, fazendo valer a logística reversa.

Tijolos feitos com roupas velhas

Restos de roupas velhas se tornaram tijolos nas mãos de uma arquiteta francesa. Clarisse Merlet começou a fabricar blocos decorativos e isolantes usando sobras de tecido e fundou uma empresa voltada para esse nicho.

Cada tijolo usa o equivalente a três camisetas de tecido. Os materiais são misturados a uma cola ecológica e prensados em um molde de compressão mecânica, o que não requer energia. Os blocos compensados são retirados dos moldes para secar e podem ser utilizados após duas semanas.

Obviamente, os tijolos não podem ser usados para construção de paredes ou partes estruturas, servem como decoração ou construção de divisórias simples. Eles cumprem uma função de isolamento acústico e térmico, também podendo servir como bases de mesas, luminárias e bancos.

A inventora diz que desde a criação da empresa, em 2018, mais de 40 mil tijolos foram fabricados, representando o reuso de 12 toneladas de roupas velhas.


Anuncie aqui!

Seja parceiro do projeto Natureza Viva e colabore com as boas notícias do meio ambiente. Entre em contato conosco para saber como ter sua marca divulgada aqui!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *