Energias alternativas: como funcionam e quais tipos existem

A busca por informação sobre energias alternativas vem crescendo no mundo inteiro nos últimos tempos e isso pode ter uma explicação: cada vez mais, as pessoas procuram fontes diferentes das convencionais, ou seja, que não utilizam combustíveis fósseis.

Também conhecidas por fontes renováveis, as energias alternativas ainda não representam grande fatia da matriz energética mundial. Estima-se que apenas 14% desse espectro utilize fontes sustentáveis.

Neste post, primeiramente, vamos explicar o que são energias alternativas, depois quais os tipos existentes e, finalmente, como funciona cada um deles. Confira!

O que são fontes de energias alternativas?

Diferentes das fontes convencionais, as de energias alternativas não utilizam derivados de petróleo e outros combustíveis para funcionar. Assim, elas causam menor impacto ambiental, principalmente em relação a emissões de dióxido de carbono, um dos responsáveis pelo aquecimento global.

Dentre as principais fontes de energias alternativas estão:

  • Solar: utiliza a luz do sol como fonte
  • Eólica: utiliza a força dos ventos como fonte
  • Hídrica, hidráulica ou hidrelétrica: utiliza a força da água como fonte
  • Geotérmica: utiliza o calor da terra como fonte
  • Maremotriz: utiliza a força das marés como fonte
  • Ondomotriz: utiliza a força das ondas como fonte
  • Nuclear: utiliza a transformação de núcleos atômicos como fonte
  • Biomassa: utiliza materiais orgânicos como fonte

Como funcionam

A seguir, explicaremos o funcionamento de cada tipo de energia. Alguns casos são tipos mais consolidados, como por exemplo a energia eólica. Outros são controversos, assim como a energia nuclear, que é considerada limpa, mas possui alto risco de contaminação radioativa.

Energia solar

A mais conhecida e identificada como um dos tipos de energias alternativas, a energia solar utiliza a luz do sol como fonte. Bom, mas isso você já sabe, não é mesmo?

Talvez o que você não saiba é que existem mais maneiras de captar a luz solar e transformá-la em energia. Sim, são eles:

  • Paines fotovoltaicos
  • Modelo térmico ou heliotérmico

A mais difundida é por meio de painéis fotovoltaicos. Instalados em telhados ou áreas abertas eles captam a luz solar e convertem-na em corrente de energia elétrica por meio de um inversor.

Mas a geração de energia solar também pode ser feita no modelo térmico ou heliotérmico. Funciona assim: a cpatação consiste na reflexão da luz, por meio de espelhos, para um ponto específico, causando altas temperaturas. Esse aquecimento atua na movimentação de turbinas que geram energia elétrica.

Energia eólica

Uma das fontes de energias alternativas mais eficientes, a eólica utiliza a captação do vento, por meio de hélices acopladas no topo de torres. O movimento das hélices, com auxílio de aerogeradores, produz energia elétrica, de forma limpa e fácil. Uma desvantagem desse tipo de energia, contudo, é que ela necessita de locais que tenham ventos constantes e em boa velocidade, para tornar as unidades geradoras viáveis.

O Brasil está entre os 10 maiores produtores de energia eólica do mundo.

Energia hidrelétrica

Sim, a energia hidrelétrica também é considerada renovável. Como no Brasil, a maioria da matriz energética é preenchida por esse tipo de energia, ela não é vista tão facilmente como alternativa.

Nesse modelo, a energia é gerada pelo movimento da água que passa por turbinas de uma represa, capazes de transformar a força mecânica em eletricidade. Utiliza, desse modo, os rios e a geografia como recursos.

Porém, a desvantagem da energia hidrelétrica é apontada pela necessidade de alagamento de grandes áreas para represar a água, o que pode causar impacto ambiental negativo.

Energia nuclear

Controversa e conhecida por seus lamentáveis históricos de acidentes, a energia nuclear, todavia, é considerada alternativa. Utiliza urânio como seu principal recurso, que por meio da fissão do seu núcleo libera vapor em alta escala e força para mover turbinas, sendo assim, responsáveis pela geração de energia.

Esse processo não libera gases, conforme algumas pessoas imaginam. Contudo, como dissemos, trata-se de energia controversa, pelo seu alto risco de contaminação radioativa em casos de acidentes. Um problema extremo, que, nesse sentido, que causa danos irreversíveis em quilômetros do ecossistema.

Energia geotérmica

Em síntese, esse tipo das energias alternativas converte o calor do magma terrestre em energia elétrica, não realizando queima de combustíveis. A forma mais comum desse aproveitamento é por meio do vapor das águas termais, conduzido através de tubulações, até uma usina. Esse vapor movimenta pás de turbinas, gerando eletricidade.

Energia de biomassa

A geração de energia de biomassa é feita por meio de materiais orgânicos residuais como bagaço da cana de açúcar, madeira, palha de arroz e óleos vegetais. De antemão, é preciso dizer que existem quatro formas de transformar a biomassa em energia:

  • Pirólise: materiais orgânicos são expostos a altas temperaturas gerando gases, líquidos e sólidos também orgânicos
  • Gasificação: materiais orgânicos são expostos a altas temperaturas e o resultado são gases inflamáveis, mas de origem orgânica
  • Combustão: ocorre a queima da biomassa a altas temperaturas produzindo vapor de alta pressão
  • Co-combustão: substitui parte do carvão mineral utilizado em usinas termelétricas por biomassa, reduzindo emissão de poluentes

Energia ondomotriz

Transforma o movimento das ondas em eletricidade. Nos últimos anos, as técnicas de captação desses movimentos vêm se aprimorando e, dentre as mais populares estão:

  • shoreline
  • nearshore
  • offshore

De maneira superficial, o sistema funciona assim: são instalados dispositivos na água que se movimentam ou se preenchem conforme as ondas. Esse movimento aciona outros componentes do sistema. Isso vai gerando eletricidade como resultado.

A energia ondomotriz, dessa forma, é promissora principalmente em países com grandes áreas costeiras em seu território.

Usina ondomotriz – foto por autossustentável.com

Energia maremotriz

A energia maremotriz gera eletricidade por meio da diferença de altura entre marés de alto e baixo nível, desde que esse espaço ultrapasse sete metros. O sistema utilizado é semelhante ao da hidrelétrica.

Primeiramente, são construídas barragens e diques próximos ao mar que captam a água durante a alta da maré. Quando ocorre a baixa da maré, a água escoa do dique, movimentando uma turbina. No Brasil, há exemplos desse tipo de geração no Maranhão e no Amapá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *